TLAXCALA تلاكسكالا Τλαξκάλα Тлакскала la red internacional de traductores por la diversidad lingüística le réseau international des traducteurs pour la diversité linguistique the international network of translators for linguistic diversity الشبكة العالمية للمترجمين من اجل التنويع اللغوي das internationale Übersetzernetzwerk für sprachliche Vielfalt a rede internacional de tradutores pela diversidade linguística la rete internazionale di traduttori per la diversità linguistica la xarxa internacional dels traductors per a la diversitat lingüística översättarnas internationella nätverk för språklig mångfald شبکه بین المللی مترجمین خواهان حفظ تنوع گویش το διεθνής δίκτυο των μεταφραστών για τη γλωσσική ποικιλία международная сеть переводчиков языкового разнообразия Aẓeḍḍa n yemsuqqlen i lmend n uṭṭuqqet n yilsawen dilsel çeşitlilik için uluslararası çevirmen ağı

 08/03/2021 Tlaxcala, the international network of translators for linguistic diversity Tlaxcala's Manifesto  
English  
 AFRICA 
AFRICA / A reocupação da África
Date of publication at Tlaxcala: 02/02/2013
Original: La riconquista dell’Africa
Translations available: Français  English  Español 

A arte da guerra
A reocupação da África

Manlio Dinucci Μάνλιο Ντινούτσι مانلیو دینوچی مانليو دينوتشي

Translated by  Coletivo de tradutores Vila Mandinga

 

No momento exato em que o presidente democrata Obama reafirmava, em seu discurso de coroação que os EUA, “fonte de esperança para os pobres, apoiam a democracia na África”, enormes aviões C-17 US transportavam soldados franceses para o Mali, onde Washington instalara no poder, ano passado, o capitão Sanogo, adestrado nos EUA por Pentágono e CIA – o que tornou muito mais agudos os conflitos internos locais.


A rapidez com que foi lançada a operação, oficialmente para proteger o Mali contra o avanço dos rebeldes islamistas, deixa bem claro que foi operação longamente planejada pelo socialista Hollande.

A colaboração imediata dos EUA e da União Europeia, que decidiu enviar ao Mali seus especialistas de guerra com a missão de treinar e comandar, mostra também que a operação foi planejada em conjunto em Washington, Paris, Londres e outras capitais. As potências ocidentais, cujos grupos multinacionais rivalizam nas operações de se assenhorear de mercados e fontes de matérias primas, sempre formam grupo compacto, quando seus interesses comuns estão em jogo. Como os interesses que são ameaçados hoje na África pelos levantes populares e pela concorrência chinesa.

O Mali, um dos países mais pobres do mundo (com renda média per capita 60 vezes inferior à dos italianos, e onde mais da metade da população vive abaixo da linha da miséria), é imensamente rico em matérias primas: exporta ouro e colombo tantalite, mas a riqueza vai parar nos bolsos das multinacionais e da elite local. A mesma coisa, no vizinho Niger, ainda mais pobre (com renda per capita 100 vezes menor que a dos italianos) embora seja uma dos países mais ricos do mundo em urânio, cuja extração e exportação são entregues à multinacional francesa Areva.



Tiago Hoisel
, Brasil



Não é acaso que Paris, em operação simultânea à do Mali, tenha enviado suas Forças Especiais também ao Niger. Situação análoga no Chade, cujas ricas reservas de petróleo são exploradas pela Exxon Mobil (EUA) e outras multinacionais (e já começam a chegar também empresas chinesas): as migalhas que restam dos lucros vão diretamente para os bolsos das elites locais. Por criticar esse mecanismo, o bispo comboniano* Michele Russo foi expulso do Chade, em outubro passado.

O Niger e o Chade também fornecem soldados aos milhares, também enviados ao Mali para abrir uma segunda frente sob comando francês. A operação lançada no Mali, com soldados franceses como ponta de lança, é operação de vastíssima envergadura, que vai do Sahel até a África Ocidental e Oriental.

É operação que se articula com a que teve início no Norte da África, com a destruição do estado líbio e manobras para sufocar, no Egito e em outros pontos, as rebeliões populares.

É operação de longo prazo, que faz parte de um plano estratégico que visa a pôr todo o continente africano sob controle militar das “grandes democracias”, que retornam à África, com o casquete colonial mal disfarçado sob as cores da fantasia de paz


 

* Missioários Combonianos do Coração de Jesus [MCCJ] : congregação religiosa missionária fundada pelo italiano Daniel Comboni, morto em Khartoum em 1881 e beatificado em 2003, para evangelização e promoção humana na África [NdT italiano-francês]. Sobre Combonianos no Brasil, ver http://pt.wikipedia.org/wiki/Mission%C3%A1rios_Combonianos [NTs brasileiros].





Courtesy of Tlaxcala
Source: http://tinyurl.com/aslkwza
Publication date of original article: 29/01/2013
URL of this page : http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=9073

 

Tags: MaliÁfrica FrançáfricaFrançaNeocolonialismoIntervenções militaresChadeNigerEUA
 

 
Print this page
Print this page
Send this page
Send this page


 All Tlaxcala pages are protected under Copyleft.