TLAXCALA تلاكسكالا Τλαξκάλα Тлакскала la red internacional de traductores por la diversidad lingüística le réseau international des traducteurs pour la diversité linguistique the international network of translators for linguistic diversity الشبكة العالمية للمترجمين من اجل التنويع اللغوي das internationale Übersetzernetzwerk für sprachliche Vielfalt a rede internacional de tradutores pela diversidade linguística la rete internazionale di traduttori per la diversità linguistica la xarxa internacional dels traductors per a la diversitat lingüística översättarnas internationella nätverk för språklig mångfald شبکه بین المللی مترجمین خواهان حفظ تنوع گویش το διεθνής δίκτυο των μεταφραστών για τη γλωσσική ποικιλία международная сеть переводчиков языкового разнообразия Aẓeḍḍa n yemsuqqlen i lmend n uṭṭuqqet n yilsawen dilsel çeşitlilik için uluslararası çevirmen ağı

 08/07/2020 Tlaxcala, the international network of translators for linguistic diversity Tlaxcala's Manifesto  
English  
 ASIA & OCEANIA 
ASIA & OCEANIA / Quem tem medo de Bo Xilai? Ou: Mao sai do palco. Viva o maoísmo!
Date of publication at Tlaxcala: 20/03/2012
Original: Mao loses, Long live Maoism!

Quem tem medo de Bo Xilai? Ou: Mao sai do palco. Viva o maoísmo!

MK Bhadrakumar

Translated by  Coletivo de tradutores Vila Mandinga

 

Não sou ‘olheiro’ da China, mas como indiano que vive inquieto com o andamento das políticas neoliberais, o anúncio de que Pequim destituiu Bo Xilai[1] da presidência do Partido Comunista Chinês em Chongqing é provocação difícil de resistir.

Para um partido comunista, destituir um membro do Politburo não é pouca coisa. Havia insistentes rumores de que Bo seria promovido ao Comitê dirigente, de nove membros, do Politburo chinês, a mais alta esfera de poder nesse país gigantesco de quase 1,5 bilhão de habitantes.

Os ‘olheiros’ da China mergulharão em infinitas especulações. Assim sendo, permitam-me oferecer uma lufada de ar um pouco mais respirável.

Na minha opinião, Bo perdeu, antes de tudo, pela ameaça que seu chamado “modelo Chongqing”[2] representava contra o passado dogmático da China maoísta, ao afirmar as vantagens de uma economia regulada pelo Estado, com sociedade igualitária.

Recentemente, Bo disse que “Como dizia o Grande Timoneiro Mao, quando estava construindo a nação, o objetivo de construirmos uma sociedade socialista é garantir que todos tenham emprego para trabalhar e comida para comer, e que todos juntos sejamos ricos. Se só alguns são ricos, começamos a cair no capitalismo e fracassamos. Se se cria uma nova classe capitalista, fica provado que, de fato, tomamos a estrada errada.”[3]

Vamos e venhamos... É blasfêmia total! Mais ainda na China de Xi Jinping. O Partido respondeu com aquelas declarações espantosas, depois do Congresso Nacional do Povo, quando ‘vovô’ Wen Jiabao, primeiro-ministro em final de mandato, alertou que a China conheceria “tragédia” semelhante à Revolução Cultural[4], se desistisse do caminho das reformas e da abertura, que tão bem serve aos interesses do povo. Nessa frase, Wen tinha em mente as declarações de Bo. E assim, nos bizantinos corredores do poder, Bo perdeu a vez e o assento.

Quem tem medo de Bo?

O carisma jovem e fulgurante de Bo, e a atração que o “modelo Chongqing” exerce sobre muitos, indicam que Bo poderia estar encontrando eco entre amplas correntes de opinião que há na economia  chinesa, que se mantêm céticas sobre as tais ‘reformas’ e alguns aspectos das políticas atuais (como o festivo mergulho no mercado, ou a crescente desigualdade de renda que já se constata). Sua campanha, de estilo norte-americano, o gingado e o à vontade com que fala e se move tê-lo-iam tornado enervante, não só aos olhos do Partido Comunista Chinês – mas aos olhos de qualquer partido comunista, de qualquer canto.


[1] Sobre ele, ver http://english.cpc.people.com.cn/66102/6846540.html#

[2] “O chamado “modelo Chongqing” enfatiza o investimento controlado pelo Estado, com zonas de desenvolvimento, redes de transporte organizadas e efetivas e incentivos aos negócios. Empresas como Hewlett-Packard Co. (HPQ)Ford Motor Co. (F) e Coca-Cola Co. (KO) mantêm operações em Chongquig. O crescimento econômico dessa província, no centro da China, foi de 16,4% em 2011 e de 17,1% em 2010” (15/3/2012, Bloomberg, em http://www.bloomberg.com/news/2012-03-15/ousted-bo-s-chongqing-model-outpaced-peers-chart-of-the-day.html [NTs].

[3] 14/3/2012, Xinhuanet, http://news.xinhuanet.com/english/china/2012-03/14/c_131466552.htm.

[4] Sobre a fala de Wen Jiabao, ver WEN JIABAO: “A China precisa de reformas políticas, sem as dificuldades de outra Revolução Cultural”, 14/3/2012, em http://redecastorphoto.blogspot.com.br/2012/03/wen-jiabao-china-precisa-de-reformas.html [NTs].

 





Courtesy of Coletivo de tradutores Vila Vudu
Source: http://blogs.rediff.com/mkbhadrakumar/2012/03/17/mao-loses-long-live-maoism/
Publication date of original article: 17/03/2012
URL of this page : http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=7045

 

Tags: ChinaBo XilaiPartido Comunista Chinês Xi Jinpingmodelo Chongqing
 

 
Print this page
Print this page
Send this page
Send this page


 All Tlaxcala pages are protected under Copyleft.