viagra online

http://www.newmoney.gov/newmoney/image.aspx?id=136


TLAXCALA تلاكسكالا Τλαξκάλα Тлакскала la red internacional de traductores por la diversidad lingüística le réseau international des traducteurs pour la diversité linguistique the international network of translators for linguistic diversity الشبكة العالمية للمترجمين من اجل التنويع اللغوي das internationale Übersetzernetzwerk für sprachliche Vielfalt a rede internacional de tradutores pela diversidade linguística la rete internazionale di traduttori per la diversità linguistica la xarxa internacional dels traductors per a la diversitat lingüística översättarnas internationella nätverk för språklig mångfald شبکه بین المللی مترجمین خواهان حفظ تنوع گویش το διεθνής δίκτυο των μεταφραστών για τη γλωσσική ποικιλία международная сеть переводчиков языкового разнообразия Aẓeḍḍa n yemsuqqlen i lmend n uṭṭuqqet n yilsawen dilsel çeşitlilik için uluslararası çevirmen ağı la internacia reto de tradukistoj por la lingva diverso

 02/09/2014 Tlaxcala, the international network of translators for linguistic diversity Tlaxcala's Manifesto  
English  
 UMMA 
UMMA / Karzai capitula sob a pressão dos EUA
Date of publication at Tlaxcala: 22/08/2011
Original: Afghanistan: Karzai capitulates to US pressure

Karzai capitula sob a pressão dos EUA

MK Bhadrakumar

Translated by  Coletivo de tradutores Vila Vudu

 

A revelação, pelo Daily Telegraph, de que estão avançadas as negociações sobre o acordo estratégico entre EUA e Afeganistão, segue a linha do previsto. O presidente afegão Hamid Karzai foi encurralado pelos eventos recentes e sangra hoje por mil feridas que recebe de todos os lados. Já não lhe sobra qualquer energia e está jogando a toalha, como o comprova sua tentativa para compatibilizar os resultados de eleição parlamentar contestada. Sua salvação, no plano pessoal, depende de reconquistar a boa vontade dos EUA, e Karzai está sucumbindo ante a pressão dos EUA para que assine na linha pontilhada e aceite a presença de tropas norte-americanas no Afeganistão, para longa permanência.

O Daily Telegraph diz que o acordo define 2024 como marco final do novo acordo, mas não é assim simples. De fato, Karzai aceitou a ocupação estrangeira do próprio país, pode-se dizer, permanentemente. Karzai está capitulando, depois de muito bater tambores de guerra, nos anos recentes, contra a presença estrangeira. Ficou sem opções e cada dia mais parece herói ferido de tragédia grega.

Provou que é incompetente, como governante; e seu governo padece hoje os castigos da corrupção e da falta de credibilidade. Os recentes ataques dos Talibã em Kandahar nocautearam sua base política. A confrontação com a oposição afegã gerou uma crise institucional. Agora que a retirada dos EUA começou, Karzai vê-se frente a frente com a dura realidade de que as forças afegãs não passam de piada macabra e não podem assumir a responsabilidade pela segurança do país nem por um mês. Os Talibã continuam a ignorá-lo e seu Alto Conselho para a Paz – sinal de que o ‘processo’ de Karzai para a reconciliação deu em nada.



Hamid Karzai, por
Medi Belortaja, Albânia


Se Karzai aceitar, pelo acordo, a ocupação norte-americana do Afeganistão, estará entrando e arrastado com ele o Afeganistão para zona de perigo. Os Talibã não reconhecerão seu acordo com os EUA. Sua posição, inclusive sua segurança pessoal, serão cada vez menos defensáveis, à medida que o tempo passar. A opinião pública afegã sem dúvida milita contra a presença militar estrangeira, mesmo se Karzai batizar as bases norte-americanas com nomes afegãos.

De fato, a ideia de que forças norte-americanas possam dividir alguma tenda com soldados afegãos é irrealista, dado que todos sabem que o exército afegão pode ser facilmente infiltrado pelos Talibã.

A expectativa dos norte-americanos, de que os Talibã aprenderão a conviver com a ocupação norte-americana – os Talibã sempre querendo chegar ao poder em Kabul – é delirante e só pode ser entendida como mais desejo que razão. A paz anda longe do Afeganistão e o Paquistão continuará a ferver, enquanto houver soldados norte-americanos na região.

Barack Obama trabalha contra a causa da paz e da estabilidade regionais, ao permitir que seu governo – e a presidência – sejam controlados por mãos do Pentágono e da CIA.

O Daily Telegraph noticia que as potências regionais estão prontas a opor-se à presença militar do EUA. Mais do que sabido. O embaixador russo em Kabul já se manifestou em termos fortes e claros. Paquistão, China e Irã, todos sabem, sempre se opuseram.

Karzai sempre foi fino observador da política regional e deveria ter modelado os próprios passos em harmonia com a opinião regional; em vez disso, pôs os próprios interesses à frente — o seu futuro político.

O acordo com os EUA o põe de volta no ponto em que estava no inverno de 2001, quando, tirado do nada, foi posto à frente do governo interino do Afeganistão e teve de aceitar o locus standii [aprox. o lugar de onde falar, sua posição] que lhe foi atribuído — mero fantoche dos EUA. A história o apresentará como figura fraca, maleável, incapaz de tomar posição, sem pensamento próprio e sem qualquer representatividade.

A diferença entre Karzai e Nouri al-Maliki[1] do Iraque não poderia ser maior. Os EUA estão hoje literalmente implorando que al-Maliki autorize a permanência de soldados norte-americanos no Iraque e só por mais um ano.
E já não há como desmentir a ‘agenda oculta’ dos EUA, ao invadir o Afeganistão. Muito evidentemente, os EUA mergulharão no ‘grande jogo’ na Ásia Central. Basta ler o que diz o Daily Telegraph[2]
 

[1] 19/8/2011, “US Forces to Stay in Iraq Into 2012, Says Leon Panetta” [Tropas dos EUA devem ficar no Iraque até 2012, diz Leon Panetta], The Nation, USA.   
[2] 21/8/2011, “USA troops may stay in Afghanistan untill 2014” [Tropas dos EUA podem permanecer no Afeganistão até 2014], Telegraph, UK. 

 





Courtesy of Coletivo de tradutores Vila Vudu
Source: http://blogs.rediff.com/mkbhadrakumar/2011/08/21/karzai-capitulates-to-us-pressure/
Publication date of original article: 21/08/2011
URL of this page: http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=5544

 

Tags: AfeganistãoHamid KarzaiEstados Unidos da AméricaUSAEUAOcupação militarPaquistão Guerras imperialistas
 

 
Print this page
Print this page
  Send this page
Send this page


 All Tlaxcala pages are protected under Copyleft.