TLAXCALA تلاكسكالا Τλαξκάλα Тлакскала la red internacional de traductores por la diversidad lingüística le réseau international des traducteurs pour la diversité linguistique the international network of translators for linguistic diversity الشبكة العالمية للمترجمين من اجل التنويع اللغوي das internationale Übersetzernetzwerk für sprachliche Vielfalt a rede internacional de tradutores pela diversidade linguística la rete internazionale di traduttori per la diversità linguistica la xarxa internacional dels traductors per a la diversitat lingüística översättarnas internationella nätverk för språklig mångfald شبکه بین المللی مترجمین خواهان حفظ تنوع گویش το διεθνής δίκτυο των μεταφραστών για τη γλωσσική ποικιλία международная сеть переводчиков языкового разнообразия Aẓeḍḍa n yemsuqqlen i lmend n uṭṭuqqet n yilsawen dilsel çeşitlilik için uluslararası çevirmen ağı

 04/06/2020 Tlaxcala, the international network of translators for linguistic diversity Tlaxcala's Manifesto  
English  
 EUROPE 
EUROPE / Declaraçao conjunta: Solidariedade transnacional contra o racismo e contra a guerra!
Date of publication at Tlaxcala: 05/03/2020
Original: Ortak Açıklama: Irkçılık ve savaşa karşı ulusötesi dayanışma!
Translations available: Ελληνικά  English  Deutsch  Français  Español  Italiano  Русский  عربي  فارسی 

Declaraçao conjunta: Solidariedade transnacional contra o racismo e contra a guerra!

Various Authors - Autores varios - Auteurs divers- AAVV-d.a.

Translated by  Maria Luísa de Vasconcellos

 

Cinco anos depois da proclamada “crise dos refugiados” e, quase quatro anos após o acordo entre a União Europeia e a Turquia, estamos, mais uma vez, a testemunhar a violência causada pelas políticas de migração centradas na segurança. Desde a quinta-feira passada (27.02.2020), milhares de pessoas têm estado a deslocar-se para a fronteira Turquia-Grécia, a seguir ao anúncio de que os migrantes que desejem chegar à Europa não serão mais impedidos no lado turco. O anúncio das autoridades do Governo turco aconteceu depois da morte de 33 soldados turcos na área de Idlib, onde a escalada de conflitos viu o número de mortos civis aumentar rapidamente a cada dia, devido às infraestrutura básicas e às instalações de saúde serem constantemente atacadas. O Governo turco mantém as fronteiras com a Síria encerradas e, ao mesmo tempo, considera que não provoca nenhum mal ao empurrar milhares de migrantes em direcção às portas da Europa, para a incerteza e para a irresolução. 

Os migrantes e os que procuram asilo vindos da Síria, do Afeganistão, do Paquistão e de vários países africanos chegaram às áreas de passagem das fronteiras de Edirne, Çanakkale e Esmirna; alguns foram trazidos para esses locais por autocarros dos municípios, outros chegaram em táxis particulares ou a pé. Na área de Edirne, foram autorizados a avançar para a zona de fronteira pelas autoridades turcas, mas os agentes da polícia grega impediram-nos de passar por meio de bombas de gás e de som. Ao mesmo tempo, as autoridades turcas restringiram o acesso aos jornalistas e aos repórteres. Os que ficaram presos na zona cinzenta entre estes dois Estados, debaixo de chuvas torrenciais e com escassez de comida, gritam, exigindo a abertura das fronteiras. Algumas pessoas que chegam à fronteira terrestre foram aconselhadas pelas autoridades a atravessar o mar, não obstante as perigosas condições climáticas.

Na Grécia, o cenário também está a agravar-se. O Governo aprovou recentemente uma nova lei mais rigorosa e ainda mais desumana sobre o asilo, que implica a detenção à chegada ao território grego de todos os novos requerentes de asilo. Nos últimos dias, as comunidades locais nas ilhas de Chios e Lesbos confrontaram a polícia de choque, protestando contra o estabelecimento de novas instalações de detenção. Sob o peso da chamada “crise dos refugiados” desde o acordo UE-Turquia, eles manifestam-se contra a deterioração das suas condições de vida e das condições de vida das pessoas que buscam asilo nessas mesmas ilhas. No entanto, a xenofobia e o racismo nunca deixaram de infestar o discurso público. Reagindo contra os acontecimentos  mais recentes, as autoridades do Governo grego têm alimentado o ódio e o medo ao espalhar o mito de uma invasão de “ilegais” a pedido do país vizinho (Turquia).

Deve ser impugnado o racismo, a xenofobia e a sua normalização em todos os lugares onde surgem, seja na Turquia, na Grécia ou em qualquer outro lugar. A instrumentalização da vida dos migrantes, dos que procuram asilo e dos refugiados, reduzida a uma ameaça e a uma moeda de troca, tem de acabar, tanto nas campanhas eleitorais nacionais, como nas relações entre o governo turco e a União Europeia. As políticas de segurança que empurram milhares de pessoas já deslocadas para um limbo de incerteza e de irresolução e os regimes de fronteira que dão origem a um ciclo interminável de violência contra essas mesmas pessoas, têm de terminar. Aquilo que exigimos é paz, direitos e liberdades fundamentais para todas as pessoas que se deslocam em correntes migratórias.

As fronteiras estão a matar, abram as fronteiras!

Acabem com a guerra aos refugiados e aos migrantes!

Solidariedade transnacional contra o racismo e contra a guerra!

POR UM MUNDO LIVRE SEM GUERRAS, SEM FRONTEIRAS, SEM EXPLORAÇÃO E SEM EXÍLIO!

►Assine a Declaração

Lista dos signatários

Contacto

 

 





Courtesy of Tlaxcala
Source: http://gocmendayanisma.com/2020/03/03/ortak-aciklama-irkcilik-ve-savasa-karsi-ulusotesi-dayanisma/
Publication date of original article: 01/03/2020
URL of this page : http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=28269

 

Tags: Crise dos migrantes Turquia-GréciaFortaleza UEropaSolidariedade transnacional
 

 
Print this page
Print this page
Send this page
Send this page


 All Tlaxcala pages are protected under Copyleft.