TLAXCALA تلاكسكالا Τλαξκάλα Тлакскала la red internacional de traductores por la diversidad lingüística le réseau international des traducteurs pour la diversité linguistique the international network of translators for linguistic diversity الشبكة العالمية للمترجمين من اجل التنويع اللغوي das internationale Übersetzernetzwerk für sprachliche Vielfalt a rede internacional de tradutores pela diversidade linguística la rete internazionale di traduttori per la diversità linguistica la xarxa internacional dels traductors per a la diversitat lingüística översättarnas internationella nätverk för språklig mångfald شبکه بین المللی مترجمین خواهان حفظ تنوع گویش το διεθνής δίκτυο των μεταφραστών για τη γλωσσική ποικιλία международная сеть переводчиков языкового разнообразия Aẓeḍḍa n yemsuqqlen i lmend n uṭṭuqqet n yilsawen dilsel çeşitlilik için uluslararası çevirmen ağı

 01/06/2020 Tlaxcala, the international network of translators for linguistic diversity Tlaxcala's Manifesto  
English  
 LAND OF PALESTINE 
LAND OF PALESTINE / O Arquivo Otomano: arma poderosa dos palestinos, contra a ocupação sionista
Date of publication at Tlaxcala: 19/02/2020
Original: الأرشيف العثماني سلاح الفلسطينيين لمواجهة الاستيطان الإسرائيلي
Translations available: Türkçe  English  Español  Русский  Italiano  Français  Deutsch 

O Arquivo Otomano: arma poderosa dos palestinos, contra a ocupação sionista

Qays Abu Samra Kays Ebu Samra Кайс Абу Самра قيس أبو سمرة

Translated by  Coletivo de tradutores Vila Mandinga

 

Al-Qods – Ao final do ano passado, a Turquia entregou à Autoridade Palestina uma cópia eletrônica de cerca de 38 mil páginas de registros de propriedade de terras, reunidas no arquivo otomano.

A luta do povo palestino para demonstrar seus direitos de propriedade sobre as terras atualmente ocupadas por Israel eleva-se agora a outro nível, graças ao arquivo otomano.

O Império Otomano governou o território da Palestina histórica de 1516 até 1917; o arquivo reúne documentos datados de antes de 1917.

Atualmente, o arquivo está na Fundação Mithaq, em Jerusalém Leste. A Fundação pertence ao Ministério de Dotação e Assuntos Religiosos da Palestina e dedica-se a reviver a investigação islâmica e o patrimônio.

A fundação recebeu da Agência de Cooperação e Coordenação da Turquia (TIKA), caixas fortes especiais para armazenar o arquivo.

Boia salva-vidas

“Os arquivos palestinos perderam-se por efeito do mandato britânico, a ocupação israelense e o deslocamento da população da Palestina” – informou à Agência Anadolu, Murad Abu Subh, encarregado dos documentos otomanos da Fundação Mithaq.

Abu Subh assinalou que “Israel anexa as terras palestinas sob o pretexto de que seriam propriedade de ausentes, ou pretende que seriam propriedade de indivíduos e de associações sionistas”.

Nesse sentido, afirmou que o arquivo otomano é uma “boia salva-vidas”, para que os palestinos demonstrem a quem pertencem terras e construções.

Além disso, os documentos são confidenciais e podem ser entregues às partes interessadas, depois de consulta às instituições palestinas relevantes.

Os documentos estão redigidos em idioma otomano, e o processo de tradução é feito por especialistas palestinos.

Cooperação turca

Por seu lado, o presidente da Fundação Mithaq, Khalil al Rifai, disse que há grande cooperação entre várias instituições turcas e a fundação.

“A Turquia nos garante sem problemas tudo o que pedimos”, disse al-Rifai, que agregou que a Turquia transferiu o arquivo por orientação do presidente Recep Tayyip Erdogan, e está sendo utilizado, principalmente, para pesquisa científica.

Rifai informou que a Fundação Mithaq está fazendo esforços incansáveis para evitar a sionização de Jerusalém, e enfatizou que “o arquivo otomano é nossa arma para provar a verdade”.

“Israel possui documentos em sua biblioteca nacional que provam nossos direitos de propriedade às terras” – disse o presidente de Mithaq, que acrescentou que todos os documentos palestinos foram confiscados por Israel.

“Não há o que justifique a agitação entre os israelenses, pela transferência dos arquivos otomanos. Quem trabalha conforme a lei não teme esses documentos” – disse Al-Rifai.

Antes de receber o arquivo, cidadãos palestinos que tivessem de comprovar a propriedade de suas terras tinham de viajar à Turquia para obter os respectivos documentos comprobatórios. Hoje pode obtê-los na Cisjordânia.

Os meios de comunicação israelenses destacaram a preocupação entre os sionistas, com a medida turca, de transferir aos palestinos o arquivo otomano, para ajudar os palestinos a demonstrar o próprio direito às terras ocupadas por Israel, especialmente Jerusalém e a Cisjordânia.

O diário israelense Hayom informou que “os advogados da Autoridade Palestina já estão utilizando documentos arquivados da era otomana, para afirmar direitos de palestinos sobre as terras”.

Galeria de fotos Gündem

  İsrail Osmanlı arşivlerinin peşinde!

1 / 21  1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11   Seguintes

 

 





Courtesy of Tlaxcala
Source: https://cutt.ly/jrBVULg
Publication date of original article: 30/01/2020
URL of this page : http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=28128

 

Tags: Arquivo OtomanoTítulos de propriedade palestinosOcupação sionistaPalestina/Israel
 

 
Print this page
Print this page
Send this page
Send this page


 All Tlaxcala pages are protected under Copyleft.