TLAXCALA تلاكسكالا Τλαξκάλα Тлакскала la red internacional de traductores por la diversidad lingüística le réseau international des traducteurs pour la diversité linguistique the international network of translators for linguistic diversity الشبكة العالمية للمترجمين من اجل التنويع اللغوي das internationale Übersetzernetzwerk für sprachliche Vielfalt a rede internacional de tradutores pela diversidade linguística la rete internazionale di traduttori per la diversità linguistica la xarxa internacional dels traductors per a la diversitat lingüística översättarnas internationella nätverk för språklig mångfald شبکه بین المللی مترجمین خواهان حفظ تنوع گویش το διεθνής δίκτυο των μεταφραστών για τη γλωσσική ποικιλία международная сеть переводчиков языкового разнообразия Aẓeḍḍa n yemsuqqlen i lmend n uṭṭuqqet n yilsawen dilsel çeşitlilik için uluslararası çevirmen ağı

 14/12/2018 Tlaxcala, the international network of translators for linguistic diversity Tlaxcala's Manifesto  
English  
 CULTURE & COMMUNICATION 
CULTURE & COMMUNICATION / Marx 200 – um novo livro
Date of publication at Tlaxcala: 19/04/2018
Original: Marx 200 – a new book

Marx 200 – um novo livro

Michael Roberts

Translated by  Victor Reichenheim

 

Meu novo livro já está finalizado. Denominado "Marx 200 – a review of Marx’s economics 200 years after his birth", ele foi publicado pela editora Lulu e já está disponível no site da Lulu.

Com o aniversário de duzentos anos do nascimento de Karl Marx no dia 5 de maio, achei válido tentar explicar as ideias econômicas de Marx e sua relevância para as economias modernas duzentos anos após seu nascimento.

Então, neste livreto, eu argumento que Marx desenvolveu três leis propulsoras fundamentais do capitalismo, em torno das quais uma clara análise da natureza das economias modernas pode ser compreendida. A partir dessas leis, podemos compreender por que o capitalismo não consegue escapar da sujeição a crises regulares e recorrentes; causa rivalidades nocivas entre países que resultam em guerras permanentes; e engendra o uso descontrolado e perdulário de recursos naturais que hoje ameaça a aniquilação do próprio planeta.

As leis de Marx também nos dizem que o capitalismo não é eterno e tem data para acabar. A questão que se coloca, duzentos anos após o nascimento de Marx, é o que poderia substituir o capitalismo como modo de produção e organização social para seres humanos no planeta.

O desenvolvimento do pensamento econômico de Marx pode ser dividido em quatro etapas: sua infância; sua juventude; sua idade adulta; e o velho Marx.

Na adolescência, Marx sofreu influência do pai e do amigo do pai, o Conde Von Westphalen. Ambos eram herdeiros do Iluminismo, seguidores dos ideais dos filósofos franceses e da Revolução Francesa. Marx nasceu logo depois das chamadas “Guerras Napoleônicas” e no começo de uma recuperação econômica gradual nos insignificantes microestados da Alemanha. Quando Marx foi cursar a universidade no final dos anos 1830, ele era um democrata radical em termos de opinião, sendo um dos “Jovens Hegelianos” que se opunham filosoficamente à superstição religiosa e à autocracia.

O período em que o jovem Marx largou a universidade e ficou sem um cago acadêmico foi marcado pela explosão de ideias e ação política na Europa. A Grã-Bretanha estava em meio à “Revolução Industrial”, com toda a expansão de maquinários e bens e a subsequente e sombria exploração do trabalho. A reforma eleitoral de 1832 permitiu o voto da classe média, o que fez com que o movimento operário cartista pressionasse pelo sufrágio universal. Na Alemanha, trabalhadores urbanos estavam se organizando pela primeira vez, e os camponeses estavam ficando mais impacientes. Na economia, em 1840, foi estabelecida a Aliança Aduaneira Alemã, a Zollverein, pondo fim às barreiras comerciais no interior da esfera de influência da Prússia e provocando um boom econômico.

Após largar a universidade, Marx se tornou um jornalista radical, com uma concepção cada vez mais materialista da luta de classes. Marx começou a se interessar pelo desenvolvimento econômico, encorajado pelo então novo amigo Friedrich Engels, que se tornou seu amigo para a vida. Engels morava no coração do Capital, a cidade industrial britânica Manchester, e já escrevia sobre as consequências econômicas e sociais do desenvolvimento capitalista. Marx e Engels se tornaram comunistas, uma ideologia projetada para substituir o capitalismo como modo de produção e organização social pelo controle comunal, com a classe trabalhadora como o grupo designado a “cavar a cova” do capitalismo. Eles escreveram o Manifesto Comunista em 1848 (Marx tinha 29 anos), um pouco antes da eclosão das revoluções contra a autocracia que varreram a Europa. O manifesto reconhecia intuitivamente a natureza do capitalismo, mas sem expor nenhuma lei econômica.

A derrocada das revoluções de 1848 e o eventual exílio de Marx na Grã-Bretanha marcaram o início da fase madura de Marx (aos 32 anos em 1850), que durou até a derrota da Comuna de Paris em 1871 (aos 53 anos). Esse período acabou sendo caracterizado por um longo boom nas economias europeias. A Grã-Bretanha era a potência econômica e política dominante e, por isso, era o melhor lugar para se estudar a economia do capitalismo. O boom revelou a Marx e Engels que não havia atalho para a revolução e que o capitalismo ainda tinha muito a percorrer na sua proliferação pelo mundo. A primeira crise internacional em 1857 não resultou no colapso do capitalismo ou na revolução. Marx concentrou esforços na organização do primeiro partido internacional da classe trabalhadora (Associação Internacional dos Trabalhadores) e em escrever sua principal obra econômica, O Capital.

A derrota da Comuna de Paris em 1871, seguida pelo pânico financeiro e pela crise de 1873 nos EUA, que se espalhou para a Europa, determinou a fase final na vida de Marx. Foi também  o começo do que viria a se chamar de (primeira) Grande Depressão, na qual as principais economias capitalistas penaram para se recuperar do colapso e ficaram vulneráveis a uma série de crises. Esse foi o alicerce das leis dinâmicas de Marx. Marx faleceu em 1883, em meio a uma profunda crise na Grã-Bretanha.

Marx se manteve na obscuridade no pensamento econômico e político após sua morte, exceto nos círculos dos líderes dos ascendentes partidos socialdemocratas europeus após o fim da Grande Depressão. No novo período de recuperação econômica nos anos 1890, trabalhadores desqualificados formaram sindicatos, e organizações trabalhistas construíram partidos políticos de massa com cada vez mais poder de voto. Desse modo, houve uma maior difusão das ideias de Marx. A vitória dos socialdemocratas “bolcheviques” (“majoritário”) na Revolução Russa de 1917 fez com que a obra de Marx e Engels ganhasse o mundo ao longo do século 20.

O livro retomará as ideias econômicas de Marx e analisará como elas são relevantes no século 21.

 





Courtesy of Tlaxcala
Source: https://thenextrecession.wordpress.com/2018/03/27/marx-200-a-new-book/
Publication date of original article: 27/03/2018
URL of this page : http://www.tlaxcala-int.org/article.asp?reference=23212

 

 
Print this page
Print this page
Send this page
Send this page


 All Tlaxcala pages are protected under Copyleft.